Joan Margarit
LA IL·LUSTRACIÓ POÈT&K METROPOLITANA & CONTINENTAL
Plurilingual Anthology of Catalan Poetry
Português

 
Joan Margarit
(Sanaüja, 1938)


TANTAS CIDADES ONDE QUERÍAMOS IR
PRIMEIRO AMOR












 
 
 

TANTAS CIDADES ONDE QUERÍAMOS IR
 
O nosso sonhar é com cidades cultas
com música e cafés hospitaleiros,
a majestade de um porto
e estações de ferro e de cristal
com os comboios polidos pelas noites
e pela chuva, pela mesma chuva
que num pequeño hotel ou nas janelas
de um museu nos faz companhia.
Há recantos à sombra de grandes árvores
e estátuas de olhar interminável;
gente cordial, calada e bem vestida
e livrarias silenciosas, onde
os olhos vagueiam enquanto escurece
e o sonho se deslumbra nos faróis.

Tantas cidades onde queríamos ir, amada!
A lua sobre aquelas pontes de ferro
dos anos em que se alterava a nossa lei.

Desde então o tempo é uma chuva
que nos empapa como a um grande telhado.
Mas na luz do pátio encontramos
templos de branco mármore e dourado
travertino. Encontramos nos pequenos povoados
faustosos estuques cor de terra
arranhados pelo vento. Todas as viagens
foram feitas no silêncio das vinhas
cor de cinza, banhadas pelo sol de inverno,
de Solivella a Rocafort. A casa
da grande varanda e pátio trazeiro
será o nosso repouso e, de nós os dois,
o que ficar terá os lírios e as horas
para lhe servir de memória e companhia
até que nos encontremos
nas cidades do sonho.


Translated by Egito Gonçalves
Quinze poetas catalães, Ed. Limiar, Porto, 1994.



 
 
 
 
 
 


 
 

PRIMEIRO AMOR


Na Gerona triste dos meus sete anos
onde as vitrinas do pós-guerra
tinham uma cor cinzenta de penúria
a cutelaria era um estalido
de luz nos pequenos espelhos de aço.
Com a fronte descansando no vidro
olhava uma navalha longa e fina
bela como uma estátua de mármore.
Como não queriam armas em minha casa
comprei-a em segredo e no bolso
batia-me, ao caminhar, na coxa.
Por vezes abria-a devagar
e aparecia a folha fina e direita
com a conventual frialdade da arma.
Silenciosa presença do perigo:
nos trinta primeiros anos escondi-a
atrás de livros de versos e depois
numa gaveta entre as tuas cuecas
e entre as tuas meias.
Agora, prestes a fazer os cinquenta e quatro
volto a vê-la aberta na palma da mão
tão perigosa como na infância.
Sensual, fria. Mais perto do pescoço.
 

Translated by Egito Gonçalves
Quinze poetas catalães, Ed. Limiar, Porto, 1994.





 
 
 
 

 ñ